Um cachorro que vive o tempo todo com capacete: a moleira nunca fechou

Dude é um chihuahua com um problema comum à raça: a moleira nunca fechou totalmente.

Este cachorro faz sucesso nas redes sociais, sempre ao lado da tutora. Dude, este pequeno chihuahua, nasceu com um problema congênito e precisa usar proteção – chapéus e capacetes – para evitar acidentes.

Um cachorro que vive o tempo todo com capacete: a moleira nunca fechou

Os capacetes chamaram a atenção dos internautas, mas Dude não precisa ficar com eles o tempo todo. Em casa e em segurança, o chihuahua usar apenas chapéus mais leves. No entanto, ele está tão acostumado que nem se incomoda mais com os acessórios.

A fama de Dude

O chihuahua começou a ficar famoso quando a filha da tutora, Erin Marley Klay, uma influenciadora digital que vive em Spring, Texas (sudoeste dos EUA), começou a postar fotos e vídeos nas suas próprias páginas nas redes sociais.

Erin é modelo fotográfico. Igualmente, ela é muito atuante no mundo digital, especialmente no Tik Tok. A jovem criou páginas para Dude (@safetyinspectordude – inspetor de segurança Dude, em português), em que o cachorrinho aparece mostrando os equipamentos e “estrelando” em muitas aventuras e travessuras.

Um cachorro que vive o tempo todo com capacete: a moleira nunca fechou

O capacete azul de Dude é o principal motivo do interesse dos internautas pelo cachorrinho, mas, quando está de folga, o chihuahua prefere trocar o equipamento de segurança por um bonezinho. Ele precisa da proteção, mas faz tudo que um cão de pequeno porte é capaz de fazer.

Em casa, com a tutora e o melhor amigo – um gato listrado que prefere se manter “incógnito” –, Dude pode relaxar e usar apenas o boné. A mãe de Erin está sempre às voltas com o chihuahua, mas a modelo prefere deixar o cãozinho mais livre, para explorar e brincar.

Erin garante que Dude é o próprio inspetor de segurança da casa em que vive no Texas. Ela brinca que ele obteve a certificação da OSHA (Occupational Safety and Health Administration), órgão americano que atua no controle da segurança do trabalho.

A moleira aberta

Grande parte dos chihuahuas e de outras raças caninas de pequeno porte apresentam esta característica: a fontanela, popularmente conhecida como moleira, permanece aberta durante a vida inteira.

Trata-se de um defeito congênito, mas, nos anos 1960 e 1970, era uma condição tão frequente entre os chihuahuas que alguns criadores consideravam a anomalia como uma característica da pureza da raça.

Um cachorro que vive o tempo todo com capacete: a moleira nunca fechou

Na imensa maioria dos cães, a moleira se fecha entre três e quatro meses de vida. Entre os mamíferos, a fontanela é uma abertura nos ossos do crânio, que se comprime durante o parto, facilitando a passagem dos filhotes pelo canal vaginal.

Os cãezinhos permanecem com a fontanela aberta durante o desmame, mas, no desenvolvimento considerado adequado, a abertura é gradualmente preenchida e, antes dos seis meses de idade, os filhotes já apresentam o crânio uniforme.

Especialmente entre os chihuahuas, no entanto, este fechamento nunca acontece. A anomalia não predispõe diretamente a nenhum tipo de patologia. Os tutores precisam apenas ficar atentos, para evitar os traumas na cabeça dos peludos, porque uma parte do encéfalo fica desprotegida com esse “buraco” na calota craniana.

Um cachorro que vive o tempo todo com capacete: a moleira nunca fechou

A fontanela aberta (ou exposta) também pode estar presente em casos de hidrocefalia canina, uma doença do sistema nervoso central caracterizada pelo acúmulo excessivo de líquido cefalorraquidiano, que progressivamente causa a atrofia do tecido nervoso.

Em geral, a hidrocefalia é congênita, mas ela também pode ocorrer em função de traumas, como quedas, choques e tumores. Não existe cura para a doença, mas existe tratamento. Mesmo assim, a expectativa de vida é baixa (em torno de quatro anos).

De qualquer maneira, nem todos os casos de hidrocefalia são acompanhados da fontanela aberta e esta condição, apesar de algumas crenças populares, não predispõe os pets a desenvolver esta doença específica.

Um cachorro que vive o tempo todo com capacete: a moleira nunca fechou

Ainda não existem estudos conclusivos sobre as causas genéticas da fontanela aberta nem sobre o tamanho desta abertura, que, quanto maior, maior a área de exposição do cérebro e os potenciais danos decorrentes.

De qualquer forma, os veterinários não recomendam que cães com esta condição sejam utilizados na reprodução. O ideal é que, caso a calota craniana não se feche completamente até os seis meses de vida, os animais sejam castrados.

Dude, o chihuahua digital influencer do Texas, foi esterilizado quando ainda era filhote. Esta é a melhor alternativa para os cães que nascem com a moleira aberta. A castração reduz o instinto de territorialidade e dominância, tornando os animais menos predispostos a aventuras – e acidentes.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Deixe um comentário