Menino queria um irmãozinho – e ganhou um de quatro patas

Este menino insistia com a mãe para ganhar um irmãozinho, que acabou chegando bem peludo.

O filho da fotógrafa Kayla Powers – um menino de quase cinco anos – insistia com a mãe. Ele queria ganhar um irmãozinho. O garoto perguntava o tempo todo se ela estava grávida. Mas, como um novo bebê não estava no radar, ele resolveu mudar um pouco os planos: a família ganhou um novo membro, mas de quatro patas e muitos latidos.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas

Talvez estimulado pelos coleguinhas da escola, o menino queria ter um irmão em casa, para brincar. A insistência foi tanta que Kayla Powers resolveu atender ao pedido, mas, no lugar de uma criança humana, chegou Lucy, uma golden retriever que passou a ser adorada pelo garotinho.

A adoção

Kayla Powers vive com o filho em Temecula, cidade de 100 mil habitantes no sul da Califórnia (oeste dos EUA). A americana é fotógrafa profissional, especializada em fotos de crianças – especialmente de recém-nascidos, e sabe as dificuldades e responsabilidades que vêm junto com mais um filho.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas
Foto: Reprodução/ Little Lashes Photography

A insistência do menino estava passando dos limites. Todos os dias, ele perguntava se a mãe estava grávida, se um irmãozinho estava chegando para brincar com ele. Havia dois problemas: Kayla estava solteira e os bebês não chegam ao mundo brincando, rindo e divertindo-se.

As crianças naturalmente levam um tempo considerável para desenvolver todas estas habilidades e nada indicava que o menino estivesse disposto a esperar: ele queria um parceiro no menor prazo possível.

Kayla resolveu então satisfazer o desejo do menino: ela saiu de casa, foi até uma pet shop e “comprou um novo filho”: uma cachorrinha de pouco mais de três meses, da raça golden retriever, uma das mais indicadas para conviver com crianças.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas
Foto: Reprodução/ Little Lashes Photography

Usando toda a experiência acumulada como fotógrafa especializada em crianças, Kayla registrou todos os momentos da dupla, desde o primeiro encontro – e a surpresa do menino – até Lucy, a cachorrinha, completar um ano de idade.

Os álbuns de fotos foram publicados nas páginas de Kayla nas redes sociais. Lucy aparece como um recém-nascido e o crescimento físico da cachorra vai sendo apresentado gradualmente, aos três, quatro, seis, nove e doze meses.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas
Foto: Reprodução/ Little Lashes Photography

As fotos mais recentes mostram a festa do primeiro aniversário de Lucy. A cachorra aparece vestida em grande estilo, com chapéu de festa e também com direito a um belo bolo, feito especialmente para cachorros.

Para Kayla, Lucy foi o melhor antídoto contra a o que ela chama de “febre do bebê”. Desde que a cachorra chegou à casa dos Powers, o menino nunca mais se preocupou em pedir um irmãozinho: ele já tem uma companheira de brincadeiras que está sempre disposta a correr, pular e descobrir coisas novas.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas
Foto: Reprodução/ Little Lashes Photography

Crianças e cachorros

Kayla estava certa. Cachorros são excelentes companheiros para crianças de todas as idades – e para adultos também, é claro. Apesar de algumas pessoas acreditarem que os contras superam os prós nesta relação, ter animais de estimação auxilia o desenvolvimento físico e emocional.

Os cães também são beneficiados. Eles passam a contar com um amigo quase sempre presente e disposto a se divertir. Também aprendem a superar a ansiedade, naqueles momentos em que o parceiro não está disponível.

Com algumas exceções, que podem ser determinadas pelos pediatras, os pais podem adotar sem medo um cachorro para ser parceiro dos filhos. Em primeiro lugar, a convivência com pets melhora as respostas orgânicas das crianças em relação a alergias, infecções e problemas respiratórios.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas
Foto: Reprodução/ Little Lashes Photography

Cachorros certamente fazem bagunça. Eles espalham objetos pela casa toda e subvertem a utilidade real de alguns itens – transformando um chinelo em mordedor, por exemplo. Mas, até nisso eles são úteis.

A partir dos três anos, as crianças devem começar a aprender a ser responsáveis pelos seus pertences. Elas podem começar recolhendo brinquedos ou colocando a roupa usada no cesto para lavar. Arrumar a bagunça feita pela dupla melhora o desenvolvimento social e cognitivo dos pequenos.

Os cães, especialmente quando filhotes, parecem ser ligados no 220V: eles correm, saltam, perseguem bolinhas e alguns até praticam esportes – os golden retrievers, por exemplo, adoram a natação e o mergulho.

menino-queria-um-irmaozinho-e-ganhou-um-de-quatro-patas
Foto: Reprodução/ Little Lashes Photography

Com toda esta agitação, eles são excelentes auxiliares na prevenção do sobrepeso e da obesidade infantis. Com as facilidades da vida moderna, é cada vez mais comum o diagnóstico de ganho de peso, com as consequentes intercorrências. Brincar faz bem para a saúde e brincar com um cachorro é muito prazeroso.

O mais importante é que a convivência forma laços de afeto e amizade praticamente indestrutíveis. O cachorro passa a ser um grande amor da criança – e vice-versa. Com isso, o desenvolvimento emocional também é beneficiado.

Deixe um comentário