O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados

Um dog park e murais de rua serão instalados em Balneário Camboriú para homenagear a dupla de aventureiros.

A prefeitura de Balneário Camboriú anunciou que Jesse Koz e seu cão e companheiro de viagem Shurastey serão homenageados. A praça ao lado do elevado da Avenida do Estado será batizada com os nomes da dupla de aventureiros. O espaço ganhará também um dog park e alguns murais retratando momentos marcantes dos viajantes.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

Amigos e seguidores de Jesse estão organizando uma cãominhada, que deverá ser realizada no dia 09.07.22. O tema do evento, naturalmente, será a celebração da amizade entre Shurastey e o tutor. O ponto de partida será o dog park, que terá o nome do cachorro.

O influenciador digital Jesse Koz e o golden retriever Shurastey morreram em um acidente de trânsito nos EUA, no dia 23.05.22. Os amigos pretendiam viajar por todo o continente a bordo de um Fusca 1978 branco, mas perderam a vida logo depois de cruzar a costa oeste do Canadá e entrar no Alasca.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados

A viagem pelas Américas

A bordo do Dodongo (este era o apelido do Fusca, inspirado na série “The Legend of Zelda”), Jesse e Shurastey percorreram diversos locais do continente americano – no total, foram 17 países e 85 mil quilômetros rodados. O clímax da aventura seria a chegada ao Alasca, mas o acidente automobilístico interrompeu a viagem.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

O projeto da dupla foi batizado de Shurastey or Shuraigow, uma adaptação do título de uma música da banda inglesa The Clash: “Should I Stay or Should I go?” (devo ficar ou devo ir?, em português). As aventuras, descobertas e perrengues da viagem foram contadas em um diário virtual, publicado nas redes sociais.

De acordo com testemunhas ouvidas pela reportagem local, Jesse teria tentado desviar de um congestionamento, mas perdeu o controle do Dodongo e acabou invadindo a pista em sentido contrário, onde colidiu de frente com um Ford Escape. O motorista ficou ferido e está hospitalizado, mas Jesse e Shurastey perderam a vida.

Jesse e Shurastey

Em abril de 2017, Jesse, um vendedor de 24 anos, deixou o emprego, a faculdade de Educação Física e resolveu seguir sem rumo, a bordo do seu Fusca. Ele vendeu algumas coisas que tinha, conseguiu levantar R$ 10 mil e partiu para “fazer a América” (literalmente) ao lado do seu fiel escudeiro, o golden retriever Shurastey.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

Jesse não tinha nenhum conhecimento de mecânica de automóveis – na verdade, ele nem sabia trocar o óleo do motor. Ele precisou reunir toda a coragem possível para correr atrás de um sonho. Também teve de confrontar todas as recomendações em contrário, além das naturais apreensões dos amigos e parentes com a viagem “impossível”.

A dupla deixou Balneário Camboriú, onde morava, e saiu sem destino. Inicialmente, a dupla rodou no sentido sul, percorrendo o litoral de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Eles atravessaram a fronteira e continuaram pelo Uruguai e pela Argentina.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

Na volta, eles conheceram a maioria das capitais brasileiras, continuaram a viagem por toda a América Central continental, cruzaram o México, os EUA e o Canadá, até chegar ao destino final, o Alasca. O trajeto não poderia ser chamado de “regular”: Shurastey e Jesse seguiram pelo litoral até Belém, rumaram para Mato Grosso e só depois cruzaram a fronteira brasileira – em direção à Bolívia e aos Andes.

Jesse nunca teve um plano definido previamente. Ele queria simplesmente ser livre, para fazer o que bem entendesse, na hora em que quisesse – desde que não envolvesse gastar muito dinheiro, que ele não tinha.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

Ele também não se importava em dormir no Fusca, apertado com Shurastey, nem em comer macarrão instantâneo em quase todas as refeições. Dormir em uma barraca montada em cima do carro também fez parte das opções de estadia da dupla.

O golden retriever acompanhava o tutor, sempre muito satisfeito. Nas fotos e vídeos, Shurastey parece ter ficado ainda mais empolgado com as novas paisagens – florestas, desertos, praias, montanhas, vulcões – do que o próprio Jesse.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

A viagem, que durou quase cinco anos, foi custeada em parte com a venda de adesivos (por R$ 5) e as doações voluntárias que Jesse obtinha nas estradas. Quando a dupla começou a ficar famosa, o tutor de Shurastey começou a confeccionar bonés e camisetas: as vendas melhoraram muito as finanças da dupla.

Depois de algum tempo na estrada, as páginas nas redes sociais começaram a chamar a atenção também de diversas empresas, que decidiram patrocinar a aventura. Jesse, no entanto, sempre fez questão de dizer que “era mais divertido quando a gente não tinha dinheiro nenhum”.

O cachorro Shurastey e seu tutor Jesse serão homenageados
Foto: Jesse Koz/Arquivo Pessoal

O acidente ocorreu na última etapa da viagem, mas é difícil prever o que Jesse e Shurastey fariam depois de conhecer o 50º Estado. Sempre em busca de algo novo, talvez eles d

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Deixe um comentário