Cachorro segue mulher e insiste até ser adotado; veja vídeo

Este cachorro vivia na rua, escolheu uma nova tutora e seguiu-a até conseguir ser adotado.

Um cachorro com características semelhantes à raça chow-chow viveu na rua durante dois anos. Há cerca de quatro meses, ele parece ter resolvido mudar de vida: escolheu uma nova tutora, seguiu-a pela rua e implorou para ser adotado. A estratégia deu certo.

O animal, que recebeu o nome de Tob Eduardo, não podia ser descrito exatamente como um cão sociável. Ele não permitia a aproximação de humanos e nunca aceitava carinhos. O comportamento pode ser derivado de antigos maus tratos.

cachorro-escolhe-uma-nova-tutora

A escolha

Tob, o chow-chow, passava o tempo rodeando a vizinhança da atual tutora, conhecida apenas pelo nome de usuário no Tik Tok: Suh Rosa. A jovem, que já vivia com outros quatro cachorros, resolveu oferecer comida e água fresca, para melhorar um pouco as condições de vida do peludo.

Durante quase quatro anos, o cachorro aparecia algumas vezes durante o dia, comia a ração, bebia água e se afastava rapidamente. Há alguns meses, no entanto, o comportamento do peludo mudou: ele passou a seguir Suh Rosa pela rua.

Tob foi se tornando cada vez mais amigável e atraente. Suh Rosa não cogitava de adotar mais um cachorro, mas o chow-chow parecia já estar decidido: ele seguia a tutora escolhida, fazia festas, demonstrava ser um bom cachorro e praticamente implorava para ser levado para casa: ele queria ter um “lar, doce lar”.

Com o tempo, Tob passou a entrar na casa de Suh Rosa. Ele não ficava exatamente confortável, porque os outros peludos da casa não mostraram muita receptividade. A tutora escolhida pelo cãozinho pretendia encontrar um lar definitivo para ele.

Mas, enquanto os candidatos a tutor não surgiam, Tob foi ficando períodos cada vez maiores na casa de Suh Rosa, até que finalmente se instalou na casa nova. O cachorro usou todas as táticas que conhecia para convencer a tutora e os novos amigos que não era uma ameaça: ele queria apenas complementar a família.

Suh Rosa documentou a aproximação do chow-chow desde quando ele apenas rondava a casa: as primeiras aproximações para se alimentar, os primeiros gestos de carinho, a primeira incursão na casa que ele tinha escolhido.

Os vídeos obtidos pela tutora foram progressivamente sendo postados no Tik Tok, para alegria dos internautas. A página na rede social já era muito acessada, por causa das imagens dos outros cães da família, mas os likes e comentários explodiram desde que Tob começou a aparecer: inicialmente, como personagem secundário, mas rapidamente roubando a cena.

Tob sempre se mostrou adorável: é difícil resistir aos apelos de um cãozinho comportado, leal e brincalhão. Enquanto Suh Rosa meditava sobre o que fazer com o hóspede improvisado, um internauta matou a charada:

“Não adianta, mana, ele já te adotou. Sinal de que você é um ser maravilhoso de luz. Deus te abençoe cada vez mais.”

A tutora já devia ter percebido que a situação não tinha volta: Tob já fazia parte da família. Até o momento, os vídeos com o chow-chow atraíram mais de 275 mil visualizações e 45 mil compartilhamentos. O cachorro foi então definitivamente adotado. O post com a decisão de Suh Rosa foi um dos mais acessados na rede social.

@suhrosa0001

Responder @carlasales82

♬ som original – suh

Os comentários ajudaram a tutora a receber Tob definitivamente em casa. Um usuário do Tik Tok escreveu:

“Deus vai abençoar você pela sua atitude”. Outra internauta declarou: ”Você ganhou uma seguidora só pela sua atitude nobre, vou orar por você todos os dias. Parabéns pelo gesto”.

Cachorros escolhem os tutores?

Desde que nascem, os cachorros se aproximam e estabelecem relacionamentos especiais com os humanos à sua volta. A interação é mais simples na adoção de um animal jovem, mas cães de todas as idades podem escolher novos tutores.

Os animais que vivem na rua criam estratégias de sobrevivência que quase sempre excluem os humanos. O abandono, a negligência, os maus tratos gratuitos e as agressões são mais do que suficientes para que eles evitem a convivência.

No entanto, cães não guardam rancor. Desde que eles sejam acolhidos com amor e responsabilidade, gradualmente passarão a confiar nos novos cuidadores e estabelecerão vínculos especiais com eles.

A situação pode demorar um pouco mais ou menos – no caso de Tob, ele só resolveu adotar Suh Rosa depois de dois anos de convivência. Mas, a partir do momento em que são criados elos de confiança e afeto, o relacionamento dura para sempre. Sorte de quem vive com cachorros.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Deixe um comentário