Cachorro fica 60 horas preso em um buraco até ser resgatado

Depois de cair em uma toca, este cachorro ficou mais de 60 horas preso, para aflição da família.

O serviço de bombeiros e resgate de Leicestershire, condado nas Midlands orientais, na Inglaterra, atendeu a um chamado inusitado e urgente: um cachorro caiu em uma toca de texugos no Diamond Jubilee Wood e ficou preso por mais de 60 horas.

Cachorro-fica-60-horas-preso-em-uma-toca

O Diamond Jubilee Wood é um bosque formado em 2012, durante as comemorações dos 60 anos de reinado de Elizabeth II (jubileu de diamante; em 2022, a rainha comemora o jubileu de platina). O local é muito visitado por ingleses e turistas, em função da vegetação e da fauna locais.

O cachorro caiu em um “sett” e não conseguiu subir de volta à superfície. O sett é a habitação dos texugos, animais nativos das Ilhas Britânicas (parentes das martas, lontras, doninhas e furões), que escavam longos túneis e galerias – podem atingir 300 metros e abrigar mais de 15 animais adultos.

As covas dos texugos possuem diversas aberturas (muitas delas falsas, que não dão em lugar nenhum). Os terrenos ficam naturalmente instáveis, especialmente quando se considera o clima chuvoso da Inglaterra.

cachorro-fica-60-horas-preso-em-uma-toca

O acidente

Os bombeiros foram chamados por volta do meio-dia para atender a uma ocorrência em Normanton Le Heath, uma paróquia civil em Leicestershire. Os tutores do cocker spaniel inglês Winston informaram que o cachorro tinha caído em uma toca e não conseguia se desvencilhar.

De acordo com os bombeiros, o acidente tinha ocorrido mais de 60 horas antes. A RSPCA (Royal Society for Prevention of Cruelty to Animals) do local havia sido acionada e orientou os tutores a procurar os serviços de resgate.

cachorro-fica-60-horas-preso-em-uma-toca

Winston caiu na toca em um sábado, no final de fevereiro, e foi resgatado apenas na terça-feira seguinte (já em março). Tudo começou com um passeio de fim de inverno pelo Diamond Jubilee Wood – o cocker spaniel já conhecia o bosque, mas a família ficou presa em casa durante meses por causa do frio.

Heather e Alex Peake, os tutores de Winston, vivem em Coalville, também em Leicestershire. Eles estavam ansiosos pelo primeiro passeio pelo parque, mas a brincadeira acabou se transformando em uma grande dor de cabeça.

Os pais de Winston passaram horas procurando pelo cocker spaniel, até que se depararam com uma para tentando sair da terra. Não se sabe se a terra cedeu sobre uma das galerias da toca, ou se o cachorro resolveu explorar o local, provavelmente levado pelo faro apurado, que o levava para uma presa comum nas caçadas britânicas.

O resgate

De acordo com a legislação britânica, os “setts” de texugos são áreas protegidas. Para escavar uma destas tocas, as equipes de resgatistas precisam de autorização prévia da Natural England, órgão responsável pela conservação da vida selvagem no país.

Ainda de acordo com as leis locais, caso um animal doméstico caia em uma casa de texugos, é necessário esperar 48 horas antes de escavar o local. Nesse prazo, entende-se que o animal acidentado pode se livrar por meios próprios.

O casal Peake, apesar da ansiedade, teve de esperar o prazo legal antes que os resgatistas começassem a operação de salvamento. Enquanto isso, Winston com quase o corpo inteiro enterrado: apenas uma pata e parte do focinho indicavam a localização do peludo.

cachorro-fica-60-horas-preso-em-uma-toca

À BBC, emissora de rádio e TV britânica,  Heather contou que ela e o marido se sentiram impotentes, vendo o cachorro enterrado e sabendo que Winston estava preso, sem tomar nenhuma iniciativa. “Foram dias difíceis”, desabafou a tutora.

Finalmente, devidamente autorizados pelo órgão competente, os bombeiros começaram a sondar o terreno em torno do que se podia ver de Winston. Para os tutores, foi uma expectativa angustiante: os oficiais precisavam agir cautelosamente, mas o cachorro nem sequer se movia.

Finalmente, uma cabeça canina começou a se destacar do barro. Winston mostrou o rosto sujo de lama, mas parecia aliviado ao ver os humanos à volta. O corpo ainda estava preso na terra solta e, como ninguém conhecia o traçado do sett, era impossível prever um possível deslizamento.

cachorro-fica-60-horas-preso-em-uma-toca

Dois grupos foram envolvidos na operação de salvamento: um destacamento dos bombeiros e uma equipe técnica de resgate. Depois de liberar o cachorro praticamente ileso, a história pode parecer engraçada, mas a família Peake viveu momentos tensos.

A operação durou quase cinco horas. Os resgatistas chegaram a usar sonares para procurar sinais dos texugos, até que finalmente constataram que o sett não estava ativo. Estes animais costumam migrar de tempos em tempos em busca de proteção de alimento, abandonando as tocas antigas.

Sue Haywood, inspetora da RSPCA, foi designada para acompanhar o salvamento e elogiou o trabalho dos bombeiros: “Eles analisaram toda a área adjacente, escavaram com muito cuidado e o mínimo possível, para finalmente retirar Winston desta enrascada”.

cachorro-fica-60-horas-preso-em-uma-toca

O momento em que o cocker spaniel “emergiu” da toca foi de muita alegria para todos, mas Heather e Alex estavam aliviados e extremamente felizes: apesar dos pesares, e do tempo que decorreu entre a queda e o resgate, Winston saiu da “aventura” praticamente ileso.

O cachorro foi limpo ainda no bosque e levado a um consultório veterinário em Coalville. Winston não sofreu fraturas nem ferimentos de maior expressão. Ele estava apenas com muito frio – depois de um banho de lama de mais de 60 horas e, claro, com saudade do aconchego dos tutores, que não conseguiam parar de chorar de alegria.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Deixe um comentário