Cachorrinha com medo de atravessar a rua é levado pela pata por sua mãe

As imagens de uma tutora atravessando a rua com a cachorra estão viralizando nas redes sociais.

Os cachorros precisam aprender a caminhar nas ruas das cidades, atentos a todos os perigos que cercam os nossos movimentos. E cabe aos tutores orientá-los e protegê-los. É isto que mostra um vídeo curto, em que uma tutora conduz o cachorro pela pata, para atravessar uma rua de grande movimento.

O vídeo de poucos segundos, postado no Tik Tok pelo usuário @eldoc1989 (Daniel Garcia), está fazendo um tremendo sucesso: 4,8 milhões de internautas acessaram as imagens e dezenas de milhares estão curtindo, comentando e compartilhando.

Cachorrinha com medo de atravessar a rua é levado pela pata por sua mãe

Ao que tudo indica, a tutora, acompanhada do cachorro da família, estava levando a filha para a escola – ela está carregando uma mochila e um agasalho infantil. Ao se aproximarem do cruzamento de uma rua movimentada, mãe e filha pegam as patas dianteiras do peludo, que atravessa a rua em segurança.

O animal deve estar acostumado ao “procedimento de segurança” que a família adotou, porque ele sabe exatamente o que fazer quando chega o momento de atravessar: oferece uma pata para a mãe, a outra para a irmã e segue marchando sobre as pernas traseiras, em direção a escola.

A segurança

A cena familiar postada nas redes sociais parece estar incorporada ao dia a dia da mulher e da criança que aparecem nas imagens. Parece ser mais um dia como os outros. A menina que ajuda o cachorro a atravessar a rua está tão tranquila que saboreia um sorvete enquanto se aproxima da calçada.

A segurança dos cães – e de todos os animais domésticos e de estimação – faz parte das atribuições dos tutores. Na natureza, os lobos são dotados de todos os equipamentos necessários para a sobrevivência, mas faz muito tempo que os nossos peludos não vivem mais na natureza.

Cachorrinha com medo de atravessar a rua é levado pela pata por sua mãe

Desde que nos tornamos amigos dos cachorros, nós construímos cidades, estradas, pontes e viadutos. Tudo muito útil para nós, mas absolutamente desnecessário e até indecifrável para os nossos peludos.

Os cachorros não conseguem prever todos os perigos das ruas e, por isso, cabe a nós planejar e evitar acidentes. No vídeo, a mãe interrompe a marcha da criança, que tranquilamente manteria o ritmo dos passos, sem perceber o movimento perigoso dos carros, se a mãe não a detivesse.

Assim como a mulher cuida da filha, também cuida do cachorro. Imediatamente, a criança se lembra de que está em um local movimentado e começa a se preparar para a travessia em segurança, pegando o peludo pela pata, para conduzi-lo até o outro lado da rua.

Nas caminhadas diárias, os cachorros devem ser conduzidos de preferência com guia e coleira, para evitar acidentes tanto com carros e motos, que podem machucá-los, quanto com outras pessoas, que podem se assustar com a presença do animal, mesmo que seja um pequeno chihuahua.

Os cachorros devem ser liberados para correr e pular somente em áreas seguras, como dog parks e outras áreas amigáveis para os peludos. Mesmo assim, é importante permanecer ao lado, porque alguns cachorros são tímidos e inseguros: eles precisam da proximidade e do apoio dos tutores.

Cachorrinha com medo de atravessar a rua é levado pela pata por sua mãe

Especialistas contraindicam até mesmo o uso das guias retráteis, que permitem mais liberdade de movimento para os cachorros. A adoção desse equipamento deve ser feita apenas em condições especiais, com a atenção do tutor voltada para o pet.

Com a guia retrátil, os cachorros podem se afastar dos tutores, o que pode ser interessante em treinos de autonomia. Mas é preciso algum treino, porque muitos humanos se confundem na hora de travar a guia ou puxá-la de volta a tempo de evitar um acidente.

A aproximação (e interação) de um cão de grande porte, por exemplo, pode ser facilmente evitada se o peludo estiver ao lado do tutor. Mas, se ele estiver três metros à frente, o encontro é inevitável, assim como as consequências.

Os cachorros também podem se assustar com buzinas e derrapagens, ou se distrair com o vaivém incessante das ruas. Já é difícil, nos passeios, atravessar uma rua em segurança (especialmente quando os pets não podem ser carregados no colo).

Uma guia de um metro de comprimento, por exemplo, pode ser posicionada na vertical, impedindo que o cachorro avance mais do que alguns centímetros, evitando o choque com carros, motos e caminhões (e também as farejadas nas rodas dos automóveis).

O melhor a fazer é estar sempre perto do cachorro, para qualquer eventualidade. O tutor pode treinar o peludo para dar a pata e atravessar a rua sobre as pernas traseiras, como é possível ver no vídeo, mas o melhor é acostumá-lo com uma guia curta, manejada com mais facilidade pela maioria dos humanos.

Receba notícias e histórias do Cães Online no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/caesonline.

Deixe um comentário